O que é Fobia Social?

O presente  resumo foi realizado a partir da transcrição literal de trechos do livro  Morrendo de Vergonha – Um guia para tímidos e ansiosos, de Barbara G. Markway – Cheryl N. Carmin Alec Pollard – Teresa Flynn (Summus. São Paulo. 1999)

“A característica essencial da fobia social é um medo persistente de uma ou mais situações em que você ou o seu comportamento podem ser avaliados pelos outros; ela é, em essência, medo de desaprovação. Há dois tipos de fobias sociais. As fobias sociais específicas envolvem uma área focalizada de medo, desconforto e fuga. Situações sociais comuns, em que uma fobia pode se desenvolver, incluem falar em público, divertir uma platéia, comer em restaurante, escrever em público, fazer exames e escrever sob a pressão de um prazo (“bloqueio de escritor”), usar banheiros públicos e sair com pessoas do sexo oposto. As fobias sociais generalizadas envolvem o medo de uma ampla variedade de situações sociais.(p. 29)

Os sintomas da fobia social podem ser agrupados em três categorias. Os sintomas corporais incluem suor, rubor, tremores e outros sinais físicos de ansiedade. Os sintomas cognitivos incluem pensamentos e crenças não-adaptativos sobre situações sociais. Os sintomas comportamentais incluem a resposta de congelamento e fuga.

A fobia social afeta literalmente milhões de pessoas. O conhecimento dos profissionais de saúde mental a respeito deste distúrbio está aumentando rapidamente. Existem agora, métodos comprovadamente eficazes que podem ajudá-lo a superar os seus medos sociais.” (p. 30)

O que é Fobia Social?

         A fobia social é um distúrbio caracterizado por um medo persistente de críticas ou de rejeição pelos outros. As pessoas com fobias sociais temem que elas possam se comportar de uma maneira que seria embaraçosa ou humilhante. (p. 15)

A fobia social é também um diagnóstico psiquiátrico.

“E qual a diferença? Distúrbio? Diagnóstico? Não são a mesma coisa? A resposta é não.

O distúrbio é aquilo que você realmente sente e experiência. O diagnóstico é um rótulo, que os profissionais de saúde mental usam para identificar o distúrbio a partir de sinais e sintomas. (p. 15)

Segundo o Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM-III, a definição é a seguinte;

         [Fobia Social é um medo persistente de uma ou mais situações nas quais a pessoa é exposta a um possível exame pelas outras pessoas, e teme que possa fazer algo ou agir de maneira humilhante ou embaraçosa.]

         Em resumo, fobia social é um medo de se desaprovado pelos outros. Embora seja natural preocupar-se com a aprovação dos outros, as pessoas com fobia social levam esta preocupação ao extremo. (p. 16)

Situações comuns onde o medo ocorre

         Há muitas situações nas quais os medos sociais podem aparecer, mas várias são particularmente comuns:

– falar em público;

– divertir uma plateia;

– fazer exames;

– comer em restaurantes;

– escrever em público;

– usar banheiros públicos;

– sair com alguém do sexo oposto.

Diferentemente das pessoas com fobias sociais específicas, você pode temer muitas ou todas as situações em que pode se defrontar com a desaprovação. As pessoas com medos sociais amplos têm uma fobia social generalizada.

         Além de temer diversas situações sociais, as pessoas com fobias sociais generalizadas, provavelmente, não terão algumas habilidades, tais como as de ser assertivo ou de comunicar-se de modo eficaz, que são aspectos importantes para sentir-se confortável com outras pessoas. (p. 23)

Quais os sintomas da Fobia Social??

Sintomas Físicos:

– aceleração dos batimentos cardíacos, ou palpitações;

– tremores;

– respiração curta;

– suor;

– rubor;

– desconforto abdominal;

– tonturas ou sensação de desmaio;

– músculos tensos;

– sufocação ou garganta apertada;

– boca seca;

– vontade urgente de urinar;

– sensação de formigamento;

– espasmos musculares;

– dor no peito;

– torpor ou dormência;

– Ondas de calor e frio

A maioria das pessoas com fobias sociais experiência ao menos alguns desses sintomas físicos quando está antecipando ou vivenciando uma situação social temida. (p.57)

Sintomas Cognitivos:

– pareço fora de lugar;

– pareço estúpido;

– não me encaixo;

– estou estragando tudo;

– Sei que eles me odeiam;

– Estou feio;

– Estou gordo;

– Serei rejeitado;

– Pareço ser incompetente;

– Os outros estão falando ao meu respeito;

– Não mereço amor;

– Pareço nervoso;

– Estou tão envergonhado;

– Sou quieto demais;

– Estou sendo enfadonho;

– Sou um idiota;

– Não sou atraente;

– Ninguém gosta de mim;

Sintomas Comportamentais:

– Congelar ou imobilidade atônica é uma resposta fisiológica completamente involuntária, que pode acontecer quando você percebe o perigo.

Quando os seres humanos experenciam essa resposta de congelamento, ela inibe ou impede ações voluntárias, como o movimento, a fala ou a lembrança.

Em resumo, você se sente paralisado. É importante lembrar que essa resposta normalmente dura pouco, e vai passar se você permanecer um pouco mais na situação.

– Fuga

– Evitar situações sociais

Possíveis comportamentos de fuga:

– ligando o rádio;

– pensando em outras coisas;

– limitando minhas oportunidades;

– usando outras distrações;

– ficando apenas um tempo determinado;

– usando álcool ou drogas;

– sonhando acordado;

– ficando perto de uma pessoa segura;

– indo apenas a lugares seguros;

– não olhando nos olhos dos outros;

– exigindo outras condições especiais;

“Existem muitas perguntas não respondidas sobre a fobia social. Os seres humanos estão predispostos a desenvolver fobias sociais? As pessoas sempre temeram a crítica, ou os medos sociais são produtos da civilização? Este é um medo humano primário, ou ele se desenvolveu a partir do medo de dano físico? As fobias sociais são mais comuns na cultura ocidental do que nas outras sociedades? Os meios de comunicação têm um papel na manutenção das fobias sociais? Por que o medo de desaprovação faz com que as pessoas se comportem de modos que aumentam suas chances de experenciarem a desaprovação? E por que respostas embaraçosas como rubor, suor e tremor acontecem quando as pessoas estão socialmente ansiosas, mas não necessariamente quando experenciam outros tipos de ansiedade? Estas são perguntas intrigantes. Suas respostas revelarão mais do que apenas a natureza das fobias sociais. Elas nos ensinarão algo mais a respeito da natureza do ser humano…

Enquanto isso, as pessoas com fobia social têm muitas razões para ter esperança. A grande maioria das pessoas com quem trabalhamos fez progressos significativos, e frequentemente dramáticos, no sentido de superar seus medos sociais. Vimos pessoas que pensavam que nunca voltariam a trabalhar, que se recuperaram de sua fobia e iniciaram carreiras interessantes. Também clientes que ficavam apavorados com o mero pensamento de falar com outras pessoas, e iniciaram relacionamentos duradouros e gratificantes. Esta habilidade recém-descoberta de participar do domínio social tornou a vida dessas pessoas mais plena do que elas jamais haviam sonhado.” (p. 229)

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s